terça-feira, 31 de maio de 2016

Plano B

Parece que foi a semana passada que criei este blog, parece que ainda ontem escrevia por aqui, no entanto já passou mais de um ano desde o último post. Não vou falar do tempo que passa a correr, não vou falar do mal/bem que ele nos faz, mas, hoje e depois de uma noite mal dormida, apeteceu-me voltar à blogosfera. E aqui estou, espero que ainda se lembrem de mim :)

E agora somos dois!
Antes era só eu, desempregada!
E se para mim o desemprego começou por ser um contratempo, acabou por ser uma opção quando verifiquei que já não voltaria a ter outro emprego com as condições do que perdera. E do mau se fez bom, a vida mudou muito, não necessariamente para pior. Passamos a ter mais tempo, para nós e para as crianças . Vi-os crescer e foi tão bom! Cada sorriso, cada ida ao parque, cada descoberta era o meu ordenado ao fim do mês. Foi tão bom, fui mãe a tempo inteiro.
   
As vezes sentia-me só, todos trabalhavam, as crianças na escola e não havia ninguém com quem partilhar tanto tempo livre. Criei um blog ...escrevi muitos textos e apaguei-os todos por serem demasiados intímos . De repente, quando a vida se equilibrou e parecia que ia ser assim para sempre e ia ser bom, a cara-metade perdeu o emprego. Voltamos ao inicio, voltamos à casa de partida, ao ponto onde nunca estivemos.
Talvez amanhã apague este texto por ser demasiado íntimo, mas hoje é um grito que precisa de sair em silêncio é o cair para levantar, porque amanhã começa o meu plano B que ainda não foi pensado, nem definido, mas que há-de existir algures.


5 comentários:

  1. Isabel, a vida nos prega peças ...Importante é ter sempre um plano pela frente seja B,C... Fiquem bem! Continua a escrever e blogar, isso ajuda a desabafar. bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Acho que metade dos portugueses precisa de um plano b. Boa sorte, faz bem desabafar.
    bjs

    ResponderEliminar
  3. Isabel, que o plano B funcione é o meu mais sincero e profundo desejo.
    Quem sabe o que a vida nos reserva? Planos a longo prazo sao apenas isso - planos.
    Fico torcendo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Isabel:
    Uma situação de desemprego, de dificuldade, fez mudar a minha vida há quase 21 anos.
    Saí do ninho e vim para Macau.
    Com a perspectiva de vir ganhar algum dinheiro, estar aqui uns anos, voltar à Pátria.
    Não foi nada assim.
    Aqui casei, aqui nasceram as minhas filhas, aqui recomecei a viver, aqui sou feliz, e é aqui que vou passar o resto da vida.
    Muitas vezes, nas maiores dificuldades, aparecem as maiores oportunidades.
    Passo a seguir o blogue desde Macau.

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que sempre existe o plano B, às vezes está lá no fundo do túnel, mas sabemos que está lá e isso basta.
    Bom regresso.

    ResponderEliminar