quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Diário da horta

É um terreno razoavelmente grande com muitas e  diversificadas árvores de fruto, um furo de água e uma terra que não é de grande qualidade para a horta, mas dá-se um jeito.
Há já alguns anos, é de lá que vem grande parte dos legumes e frutos que consumimos, nem se tratava de uma questão económica, apesar de ultimamente reconhecer que faz alguma diferença no orçamento familiar. Produzir numa horta, nem sempre é tão economicamente viável como se pode imaginar ... há a conta da luz, porque para tirar água do furo é preciso uma bomba eléctrica, há a compra anual das sementes - temos algumas que guardamos de uns anos para os outros, mas as sementes novas que se compram são praticamente estéreis na segunda geração, pelo que não se podem aproveitar  para semear novamente. Há ainda a fertilização do terreno, neste caso é um terreno muito pobre, que precisa de cuidados especiais na fertilização e na forma como é cultivado; há o gasóleo, seguros e manutenção do tractor e ainda há sempre algum imprevisto. Não fossem os pais os mentores da horta e para nós não seria viável mantê-la, pelo menos com esta dimensão e variedade.

Mas sabe tão bem ir à horta!!



Molho de tomate

Nesta altura só os dióspiros têm fruto, pelo fresquinho da manhã apanhados e comidos na hora têm um sabor que nos enche o estômago e a alma. Tenho que comprar açúcar para fazer doce de dióspiro.

Começamos a apanhar as primeiras couves portuguesas, bróculos e feijão verde (segunda leva). Os tomates já acabaram, este ano a produção de tomate foi muito fraca aqui na horta, mesmo assim deu para fazer doce, molho de tomate que congelei aos cubos e este da foto que ficou em frascos, e ainda muito congelado inteiro.
As cebolas já estão encabadas ( cabos de cebolas feitos em trança) esperamos que à semelhança de anos anteriores cheguem para o ano inteiro.
As nozes também já foram apanhadas, mas ainda estão a secar, as da imagem são do ano passado.

O trabalho da horta nunca pára e a apanha da azeitona está para breve.
Também chegaram novos pintos à capoeira e morreram duas galinhas poedeiras, a produção de ovos está em baixa .

Em projecto temos idealizado um secador solar para a fruta, é enorme a quantidade de fruta que se estraga todos os anos, que desidratada poderá ser consumida fora da sua época de produção.

Este é o diário da horta, uma ajuda, ou uma terapia grátis para descontrair das ansiedades do quotidiano.  Por estes dias continua o envio de CVs, alguns entregues em mão por amigos, são esses que nos dão mais esperança. E viva o país das cunhas que sempre critiquei ...

P.S. Há dois anos escrevi este texto sobre a horta, já muita coisa mudou desde então.

14 comentários:

  1. Esse teu olhar sobre o paraiso da horta abanou um dos meus muitos mitos! Nada cai do céu,é certo. Uma amiga dona de horta, diz, quando me oferece alface, que é da ourivesaria, tal o custo.
    Ainda assim sonho... gostava de comer diospiros apanhados da arvore.
    Beijo e muito boa sorte com os cv - pudesse eu ser tua cunha ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostava de optimizar o processo de produção da horta para baixar o custo.
      Obrigada
      beijinhos

      Eliminar
  2. Que beleza como descreves tudo e ter a possibilidade dessas colheitas, maravilhoso! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Que maravilha!
    As hortas são fantásticas! Eu adoro a minha! Acaba por ser o "meu paraiso", a minha terapia...
    E cenouras? já conseguem?
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei, eu já vi as fotos da estufa ... ai a estufa era o meu sonho. É mesmo uma terapia!
      Quanto às cenouras, agora fiquei a pensar, como é que a Nat sabe das cenouras ? Mas depois lembrei-me do post que está no link =) Cenouras e alhos, não se dão por cá.
      beijinhos

      Eliminar
    2. Experimenta numa zona pequena (só para experimentar) fazer um canteiro em que mistures 3/4 de areia... e ver se dá alguma coisa (isto a supor que o problema seja da terra...)
      Beijinhos e boas hortices!

      Eliminar
  4. Compreendo perfeitamente, Isabel, as despesas e o trabalho que uma horta dá. No entanto, acho que vale a pena o sacrifício e o investimento e se se tiver tempo, melhor ainda! :) Fiquei com água na boca com essas iguarias que recolhes de lá, fez-me lembrar as horta do meu pai que visito muito pouco, mas é um regalo, cada vez que lá vou.
    Beijinho, continuação de força nessa procura de emprego!

    ResponderEliminar
  5. Olá Isabel, os teus produtos da horta são maravilhosos! Vou-te lançar um desafio, já pensaste em produzir compotas com os frutos da horta e vender? Podes criar combinações diferentes daquelas que são habituais. Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. E se eu lhe disser que tenho alguns produtos hortícolas na minha varanda no meio de Macau, acredita?

    ResponderEliminar
  7. Que maravilha de produtos da horta! Mesmo com o trabalho que dá, eu sou daquelas que acredita que os resultados superam sempre o trabalho que dá.
    Eu tenho um terreno dos meus pais e uso menos de um décimo para fazer a minha horta. Não tenho tractor, nem moto-enxada, nem furo de água, tenho que fazer tudo à unha e recolher e carregar água doutros locais.
    Mas mesmo assim não penso sequer em deixar de fazer horta. Nem pensar! O que se tira de lá é tão bom, tem tão mais sabor e é um orgulho imenso ver o resultado do nosso trabalho.
    Adorava ter uma capoeira, é um projecto que tenho que realizar e em breve! Os ovos são tão caros e quando se consegue ter galinhas que andem no campo, estrumam a terra, comem insectos, comem cascas e couves, é só vantagens.
    E cuidar de uma horta já é um emprego! Tenho pena que às vezes as pessoas se esqueçam disso e que se esqueçam também a poupança que se tem quando se tem horta.
    Beijinhos e boas plantações :)

    ResponderEliminar
  8. Eu tenho trocado e guardado as sementes que me dão, feijão, milho doce, nabiça, tomate, couve de nabo mas, a minha horta é pequena...

    ResponderEliminar
  9. eu de ortas não entendo nada, só de apanhar e comer... Esses diospiros hum...
    Boa sorte com as cunhas, quem sabe é desta.

    ResponderEliminar
  10. A horta dá muito trabalho!
    Aqui na aldeia tento dar continuidade aos terrenos dos pais...não percebendo muito...dá para fazermos uns petiscos e uma bela sopa!
    Belos seus produtos!
    Hoje plantei cebolo! Bj

    ResponderEliminar